Create a gist now

Instantly share code, notes, and snippets.

What would you like to do?
artigo sobre a semantografia e a linguagem bliss
here we go!

BLISSYMBOLS - Uma alternativa para comunicação

autor: Jônatas Davi Paganini - UNOESC

Bacharel em Sistemas de Informação (UNIPAR), pós graduando em Arteterapia, educação e Saúde (UNOESC).


RESUMO

Este artigo está dividido em duas partes principais. Na primeira é apresentado a linguagem bliss, o desafio pictográfico e a relevância do trabalho de Charles K. Bliss no desafio de criar uma linguagem simbólica universal. Na segunda parte, o foco é introduzir o aplicativo desenvolvido, assim como a ideia do método de ensino e as possibilidades que o aplicativo pode trazer para o ser humano e a educação.

Palavras chave: semantografia, educação, acessibilidade, tecnologia, comunicação Eixo temático: Currículo escolar


A LINGUAGEM SIMBÓLICA BLISS

Blissymbolics, Blissymbols ou simplesmente Bliss é uma linguagem ideográfica que possuí cerca de 5000 símbolos autorizados. Os símbolos são combinações de 100 caractéres bliss primordiais e através da extensão e das regras gramaticais da linguagem, é possível fazer comunicação com alto nível de complexidade.

Os símbolos são conhecidos como carácteres ou palavras bliss e é possível criar uma nova palavra combinando os carácteres já existentes.

Esta linguagem é intensamente utilizada com pessoas com deficiências e dificuldade de comunicação, mas também pode ser útil para aprender outra língua ou mesmo dar suporte a outras pessoas.

Os símbolos não tem pronúncia, logo são conectados com o simbolismo inerente a cada um em sua lingua nativa. Este processo faz com que seja possível fazer comunicação sem entender a linguagem estrangeira, apenas utilizando de recursos ideográficos estabelecidos pela semantografia.

Semantografia é o termo técnicno adotado por Charles Bliss para o conjunto de regras adotadas pela linguagem bliss. Estas regras gramaticais tratam-se de lições tiradas de leis universais das mais diversas áreas do conhecimento. Desta forma, a linguagem explora ao máximo o conhecimento e a simbologia natural do mundo, indiferente de nação ou linguagem.

contextualização histórica

Antes de Charles K. Bliss criar o Bliss Symbols, muitos outras pessoas imaginaram e idealizaram uma forma de comunicação simbólica universal, desta forma, abaixo segue uma sequência cronológica dos grandes fatos na história relacionados a linguagens simbólicas pictográficas e os principais atores e contribuições.

Ano pessoa(s) contribuições
1661 George Dalgarno Um professor de escola, publicou o "ARS SIGNORIUM" ou "UNIVERSAL CHARACTER".
1668 John Wilkins Bispo de Chester, cofundador da "Royal Society" publicou seu "ESSAY TOWARDS A REAL CHARACTER". Infelizmente os caractéres de Dalgarno e Wilkins eram apenas linhas arbitrárias e não lembravam s coisas que queriam representar. Também Dalgarno demonstrou uma completa "falta de base prática" o que tornou a linguagem puramente artificial. Mas ainda teve o mérito por ter dado a primeira contribuiçnao concreta para o problema em questão.
1679 Gottfried Wilhelm Leibniz Filósofo e matemático, se inclinou para os sistemas de Wilkins e Dalgarno. Ele pensou sobre os símbolos, e que os mesmos deveriam representar coisas reais de forma muito simples. Ele disse: "Um método verdadeiro de Simbolismo Universal seria... Um guia para a mente como as linhas desenham a geometria e as fórmulas a aritmética" Leibniz também visualizou a importância das fronteiras da linguagem e disse: "Isso seria um serviço primeiro para fazer comunicação fácil com nações distantes, mas quando introduzido para nós, sem entretanto renunciar a escrita ordinária, poderia ser útil para dar pensamentos menos mudos e mais verbais do que nós temos." Leibniz criou uma efeito semântico de uma pictografia internacional, mas ele envolveu vários sistemas arbitrários de classificação baseada em números, o que tornava difícil de memorizar um catálogo de noções. Também manteve a ideia de linhas arbitrárias sem aplicar o efeito que o símbolo deveria se autorepresentar. E algum tempo depois os cientistas da época acabaram abandonando seus conselhos.
1873 Melvin Dewey Também acabou não tendo muitas contribuições efetivas mas sim considerando o sistema de Leibniz.
1904 Basil Hall Chamberlain Educador e linguista observou os países sobre influência da china e também as facilidades ideográficas triunfando sobre a escrita fonética. Em um de seus exemplos disse: "Qual é mais usado: trezentos e sessenta e cinco ou 365?"
1922 C. K. Ogden and I. A. Richards Professores da universidade de Cambridge escreveram "THE MEANING OF MEANING" que também retoma o que Leibniz deixou. Neste período, após a primeira guerra mundial, as universidades também iniciaram estudos no campo semântico.
1930 Richard Paget Senhor Richard, participante da "Phisical Society" alertou sobre a situação alarmante do mundo e os problemas estarem relacionados a falta de compreensão e significado das nações. Abaixo segue seu discurso: "NÓS ESTAMOS EM POSIÇÃO DE ALARME tendo sobre nossas mãos um grande controle sobre as forças da natureza, e pouco reagindo para guiar nossas ações - de fato, muitos de nós parecem um monte de crianças com armas carregadas. Homem, parece que ele continua se prejudicando e confundindo na maneira de pensar. Mas pode ser devido ao simples fato da forma como os símbolos funcionam em nosso pensamento - linguagem - não existe uma ordem estabelecida; o que interessa para o simbolismo do pensamento. Nós ainda continuamos no mesmo estado de confusão que os Romanos com sua aritmética. Nós ficamos horrorizados com a dificuldade de multiplicar MDCCIX por LVII. Mas para a educação romana parece natural e inevitável. Mas seu poder aritmético sofre em consequencia." "O pensamento humano requere um método mais eficiente de simbolismo que a linguagem não suporta. "
1941 Dr. Frederick Bodmer and professor Lancelog Hogben Identificaram que os símbolos e a terminologia da química moderna já cumpriam com o sonho de Wilkins do caracter real, apresentando um vocabulário de ideografias e símbolos pictográficos
1942 Charkes K. Bliss Charles Bliss foi exilado na China na segunda guerra mundial, e lá começou a ter aulas de mandarim. Logo que começou a entender os símbolos a complexidade desapareceu, e ficou encantado com a facilidade de compreensão pictográfica. Começou a encontrar até mesmo uma série de dificuldades e repetições desnecessárias na comunicação. Observou ainda, que os símbolos eram muito mais simples de ensinar para uma criança do que ensinar 26 caractéres do alphabeto que por si só não tem significado. E que por mais que os chineses do norte não entendessem a fala e o sotaque dos chineses do sul, ambos usavam os mesmos símbolos para expressar os mesmos significados. Este homem aprendeu na China que é possível criar uma comunicação escrita sem estar vinculado a uma linguagem ou nação. Que é possível entender o significado sem precisar conhecer a palavra. Então partiu para implementação de sua própria linguagem simbólica. Levando boas experiências do mandarim e de uma série de outras áreas de estudo no qual embasou as principais decisões sobre a linguagem. Dedicou quatro anos após a segunda guerra mundial na sua ideia. Simplificou os símbolos até eles serem autoexplicáveis e então escreveu seu livro, que foi publicado em 1949 com o título: "Semanthography - 100 Symbols elements to overcome Babel in reading, writing and thought"

SEMANTOGRAFIA

A semantografia é a primeira realização prática do sonho de Leibniz, a demanda de Paget e a descrição de Reiser. Compromentendo-se a: *Uma incomum ferramenta para aprendizado de linguagem*.

As pessoas estão sempre aprendendo outras línguas. De fato entrar em outra língua e falar em um mesmo nível de compreensão da língua é quase impossível.

As expressões idiomáticas estão em todo lugar e a ordem, a gramática, a construção de sentenças e também o uso das particularidades da linguagem são sempre um problema quando não está se falando a linguagem nativa. Mas para todo significado existe uma palavra específica em cada língua. Isso faz com que os símbolos interacionais se popularizem e consigam ter uma força natural de expressão.

Não é necessário falar 1 + 2 = 3 para haver comunicação, mas cada um pode ler e pronunciar em sua maneira particular de compreensão, em sua língua nativa. Da mesma maneira como se torna natural entender a expressão acima a semantografia tem o poder de ensinar a falar o sentido.

Enfatizando a parte "natural" da semantografia, esta, se apossa de uma série de leis universais da física, biologia, química e psicologia. Pois as mesmas servem como base para descrever várias áreas do mundo físico, e as mesmas já tem um sentido natural para o homem indiferente de sua nação.

E ainda existem uma série de informações que não precisam ou devem depender de uma linguagem ou nação. Por exemplo, as informações marítimas ou espaciais, que não pertencem a um país específico e podem ser elaboradas para uso de um senso comum sobre a informação em contexto.

os 100 símbols elementares

Semantografia é uma proposta de uma linguagem prática. A notação propõe apenas notações geométricas simples mas também que seguem uma coerência com as linhas das formas dos objetos do mundo real.

os números

Os primeiros 10 elementos já são reconhecidos mundialmente. Os números: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 0 podem ser reconhecidos pelas crianças ainda que na pré-escola.

Estes são os primeiros 10 elementos semantográficos e neles contém as mesmas regras propostas pela matemática, comom 23 é diferente de 32. Ou 22 é diferente de 44 ou 2ˆ2.

E neste exemplo é possível perceber que a posição do elemento e muitas vezes até o tamanho dele têm uma influência diferente sobre o significado.

os operadores

Além dos números, a semantografia também se apoderou dos operadores matemáticos como:

addition,gain subtraction,loss multiplication division
adição subtração multiplicação divisão

E os mesmos símbolos de tamanhos diferentes podem significar coisas diferentes:

and,also,plus,too along_with group_of,much_of,many_of,quantity_of
e ou também ainda mais grupo de, muitos de

interpontuação dos símbolos

Como na linguagem escrita, a semantografia também usa para mesmo propósito:

dot comma question_mark exclamation_mark colon
ponto vírgula interrogação exclamação dois pontos

setas

Um dos símbolos internacionais mais primitivos do homem é a seta. Na semantografia as setas devem denotar o movimento (ação) em uma certa direção. Como naturalmente usamos avançar da esquerda para direita então adotamos:

forward backward,back
para frente para trás

Então aqui tira-se uma importante lei da astronomia que é usada como uma regra gramatical no bliss:

No espaço do universo não existe direção favorecida para alguma direção.
Logo para frente não significa nada em um espaço vazio.
Para frente de onde?
Para onde?
Um grupo de homens pode avançar em diferentes direções 
e cada um estará avançando segundo seu sistema de referência

Este símbolo, "para frente", quando casado com um outro símbolo metafórico, então significa o avanço ou progresso apartir desta referência inicial. Logo as setas são dependentes de seus sistemas de referência sempre que utilizadas.

símbolo significado descrição
medicine,medical_practice medicina O bastão do deus romano da medicina: Asclepius, foi simplificado e é usado desde a idade antiga em hospitais e farmácias.
money,cash dinheiro ou negócio O bastão de Mercúrio, mensageiro de Júpiter, deus dos mercantes. Também é usado desde a idade antiga em bancos e casas de negócios. Foi simplificado e no bliss é usado para negócio ou dinheiro em geral.
musical_note nota músical A nota músical indica qualquer coisa ligada a música.
destroyed,ruined,demolished,deleted,erased,cancelled ruína ou destruição A linha oblíqua utilizada para erradicar, destruir, extinguir etc. Nas placas de trânsito também é utilizada com o significado de proibir.

O símbolo do significado oposto

opposite_meaning,opposite_of,opposite

Este símbolo lembra uma seta apontando para ambas direções e pode ser usado para dar o oposto do significado atual.

este é oposto deste
amor love,affection ódio hate-(to)_(OLD)
cheio full vazio empty-(to)_(OLD)

O símbolo do objeto (coisa) química

thing,object

Este objeto tem a forma de um quadrado ou um cristal, e a apresentação deste, dá-se por outra importante regra gramática dada pela química:

Nós abandonamos a noção de nome em geral. E então introduzimos nossos casos particulares de objetos químicos. 
Nosso universo consiste em corpos químicos.
As palavras terra, pedra, cavalo, flor, homem, bebê e até eu e você indicam uma objeto químico

O símbolo da ação física

action,act,deed

Este é um dos símbolos e ações mais primitivas do homem. Herdado da letra A do alfabeto Latim, significa a letra Actus, ou seja, fazendo uma ação.

Outra importante regra gramática dada pela física:

Os objetos químicos de nosso universo realizam AÇÕES 
Na convenção gramatical, todas as palavras que pertencem a AÇÕES caem em classes de verbos ou formas verbais.

Então quando o símbolo de ação estiver sobre outro símbolo, servirá de indicador de ação do símbolo em contexto. Observe o exemplo:

mind,intellect,reason think,reason-(to) brain
mente (símbolo) pensar (ação) cérebro (objeto)

O símbolo do tempo

Como não existe nenhum símbolo universal para o tempo, então foi utilizado dois espelhos parabólicos, sendo o que está voltado para trás, significa o passado, enquanto o que está voltado para frente significa o futuro. E a união de ambos significa o presente.

passado presente futuro
past present future

Estes mesmos símbolos em tamanhos menores representam partículas menores de tempo:

ago,then_(past) now then,so,later
antes agora depois

Ou mesmo combinado com dias podem representar referências específicas de tempo.

ontem hoje amanha
yesterday today tomorrow

Outra regra gramática da semantografia dada pela física:

Toda AÇÃO, que observamos, envolve um tempo.
Toda AÇÃO ocorre durante um certo tempo.
Consequentemente devemos usar um indicador.
Para indicar presente, passado ou futuro.

Entretanto, não é necessário especificar o tempo sobre todos os indicadores que indicam a ação, mas apenas quando necessário. Um indicador de passado sobre um símbolo é o suficiente para contextualizar que a ação aconteceu no passado, não sendo necessário enfatizar todas as ações no passado.

O símbolo para avaliação humana

evaluation,value

Um grupo aparte da ação física e objetos químicos existem as avaliações humanas: Feio, bonito, bom, ruim etc. E essas avaliações variam de indivíduo para indivíduo e as palavras deste gênero não se encontram na natureza mas tratam-se puramente de opiniões humanas.

O símbolo é herdado da letra V do Latim = Valere (latim) = Valor

O símbolo da avaliação também pode ser usado como um indicador.

O símbolo para criação

creation,nature

Este é um símbolo totalmente arbitrário e livre para expressar a grandeza da criação. Existe uma série de variações deste símbolo para definir os diversos e específicos significados relativos a criação, natureza, universo, Deus, Criador e muitos outros.

A variação deste símbolo para menor pode significar feitos menores ou maiores conforme a variação de tamanho e a posição.

Criação Feito pelo homem Deus
creation,nature man-made God

O símbolo para mente

mind,intellect,reason

O símbolo da mente abre para mais uma regra dada pela psicologia:

Define-se a mente em 3 estados, ou partições:
1) parte das emoções, sentimentos, paixões, impulsos, instintos, etc
2) parte do pensamento racional - a razão
3) parte da consciência

A terceira parte, a consciência, está no mais alto, trazendo os significados de "bom" e "mal", "ética", "moralidade" e "Deus".

Mente Consciência
mind,intellect,reason conscience

O símbolo da emoção

feeling,emotion,sensation

A emoção, sentimento ou sensação é esboçada através de outro símbolo da idade antiga: o coração. O coração simplifica e agrupa sentimentos e expressões "amigáveis" quando combinado com outros símbolos. Por exemplo:

Feliz amando
happy,glad,gladly,happily in_love

O símbolo da filosofia

philosophy

A filosofia é a representação da mente contemplando a natureza.

Em partículas menores, temos o homem e suas criações. E enquanto almejando sua obra significa planejamento ou desenhando.

man-made plan,design,method,system
feito pelo homen plano, método, sistema

O plano é a representação do homem contemplando sua criação.

Outra importante regra gramática da semantografia dada pela fisiologia:

O cérebro é a parte do corpo humano a qual origina os pensamentos.
Por trás desta função, o cérebro coordena os sentidos do corpo.
Estes sentidos são operados por diferentes orgãos como olho, nariz e orelha.
Desta forma fez-se necessário alguns símbolos para demonstrar as sensações relacionadas a estes.

O símbolo do olho

eye see,look,watch-(to)
olho ver

Este símbolo compõe o significado de ver. Ele é utilizado para representar visual, luz, forma, escuridão, clareza, transparência, cores, figuras, olhar, visão e qualquer outro sinônimo conveninente para o sentido de ver.

observation light
observação luz

O símbolo da orelha

ear hear,listen-(to)
orelha ouvir

O símbolo da orelha está ligado a toda e qualquer conexão com o sentido do som. O som pode ser também um ruído, música, tom, bang, crash, escuta, etc.

O símbolo da nariz

nose smell-(to)
nariz cheirar

Este símbolo deve ser utilizado para se referir ao nosso objetivo de cheirar.

Assim como as relações com odor, fragância, perfume tamém estão diretamente expressadas através do nariz.

O símbolo da boca

mouth speech
boca fala

A boca faz uma série de atividades como respirar, degustar e comer mas a principal é falar. A fala é tão crucial que o próprio indicador de ação pode ser dispensável a primeira vista.

discussion,conversation,debate,chat language song
discussão, debate linguagem som

Já no caso de degustar, existe a conexão entre o paladar e o odor então existe a combinação de ambos para a representação de tal.

taste-(to)

Segundo a medicina, é impossível sentir o gosto sem a existência do nariz, logo segurar o nariz totalmente trancado pode tornar tudo totalmente sem sabor.

O símbolo da mão

hand touch,feel-(to)
mão tocar

Este esboço acima indica o desenho de uma mão direita com a visão apenas do dedo polegar e do dedo indicador.

A mão é usada para representar ações de "manipulação" como segurar, pegar, apertar, tocar, etc.

A combinação da mão com o objeto químico resulta na ferramenta: *um objeto na mão*.
Isso indica a primeira ferramenta primitiva do homem: *uma pedra na mão*.

tool,instrument

Outras partes e detalhes do corpo

Os detalhes do corpo pode ser enfatizados com um ponteiro direcionando para a parte requerida no símbolo.

a face
face beard head neck_(head) mouth nose eye ear
face barba cabeça pescoço boca nariz olho orelha
o corpo

O corpo é caracterizado por indicadores localizados apartir dos elementos já conhecidos.

body,trunk back_(body) heart legs_and_feet knee hand arm
corpo costas coração pernas e pés joelho mão braço

o homem e a mulher

man,male woman,female
homem mulher

Os símbolos são auto explicativos e representam o homem de pernas e a mulher de saia. Também significam o masculino e feminino. Indiferente de raça ou idade.

outros tipos de pessoa

standing_(standing_person) child,kid,youngster baby,infant
pessoa em pé criança neném

o tempo e seus derivados

Partindo dos elementos vistos até agora, os próximos serão mais auto-explicativos ainda. E as combinações e exemplos autosugerem seus significados.

time

O relógio é usado para representar as coisas do dia a dia relacionadas ao tempo fixo.

Além do relógio, o sol sempre foi um indicador de tempo e uma série de derivações deste compõe os significados desta grandeza.

sun day week month year decade
sol dia semana mês ano década
estações e outros detalhes do tempo
morning_(early) evening spring_(ckb) summer_(ckb) autumn,fall_(ckb) winter_(ckb)
manhã noite primavera verão outono inverno
combinando tempos e ciclos
last_month next_week next_year
último mês próxima semana próximo mês

Elementos da natureza

fire water,fluid,liquid lake,pond river,stream,current ocean,sea earth,globe,world star [] cloud
fogo água lago rio oceano terra, globo estrela nuvem
O lago têm muita água
O rio é onde a água corre
O oceano têm muita muita água
creation,nature flower garden tree island stone,rock mountain valley forest,bush,wood,woods
natureza flor jardim árvore ilha pedra montanha vale floresta
O jardim é a terra que têm flor
E uma ilha é uma terra cercada de água
forest,bush,wood,woods park
floresta parque
A floresta é um local que têm muitas árvores
Parque é um local com flores e áravores

Animais

Os animais são caracterizados por 4 patas. E cada símbolo é autoexplicativo.

animal,beast horse dog,canine_(animal),canid cat,feline_(animal),felid animal_(bovine),bovine,ovine sheep pig dinosaur giraffe
animal cavalo cachorro gato boi ovelha porco dinossauro girafa

O gato também pode ser qualquer outro felino.

A ovelha é o ovino da roupa (lã).
bird parrot,myna,talking_bird mouse insect,bug butterfly,moth bear
pássaro papagaio rato inseto borboleta urso
O papagaio é o pássaro falante
E o rato um animal pequeno de dentes

Espaço

O espaço pode ser visto de diversas maneiras e tamanhos. Desta forma existem espaços grandes, pequenos, fechados, abertos, e existe a relação do espaço com seus limites de terra e céu.

container,bowl,holder,pouch foundation,base,fundament protection,shelter room limit(s),limitation place,area,location,space
recipiente base proteção sala limites lugar, espaço

base direções

open closed up,upward down,downward shake,jiggle-(to) forward backward,back
aberto fechado acima abaixo agitar avançar regredir

posições relativas

O ponto é utilizado intensamente como um ponto de referência. Combinando o ponto a uma reta e sua posição, temos sempre a posição do ponto relativa ao limite em questão.

over,above,superior under,below,inferior before,in_front_of,prior_to until,till,to after,behind from in,inside,interior,internal out,exterior,external,outside
sobre, superior embaixo, inferior antes, em frente até aqui depois, atrás daqui dentro fora

medidas de grandeza

scale,measurement

Escala ou medida.

As medidas de grandeza não são indicadores e aparecem ao lado dos símbolos relacionados.

group_of,much_of,many_of,quantity_of | group_of,much_of,many_of,quantity_of group_of,much_of,many_of,quantity_of | more | most,maximum | fewer,less ----------|-------------|----------------|--------------------|------------------------|--------------|------------------------|-------------|------- muito, | muito mais | mais | maioria | menos

medidas de tamanho

measurement,measure

medida

littleness,smallness | bigness,largeness | shortness_(distance,length) | lowness,shortness_(height) | length,longness --------|--------|--------------------|----------------|--------------------------|------- pequeno | grande | curto (distância ) | curto (altura) | longo (largura)

enfase no tamanho

size

tamanho

high,tall giant longest
alto gigante maior

Neste momento já é possível entender a abrangência da semantografia e aonde a linguagem pode chegar. Também é possível compreender como este sistema interage e responde as necessidades reais e muitas vezes corriqueiras da comunicação.

Compreendendo estas regras gramaticais, a ideia do aplicativo surge em permitir introduzir a simbologia, as combinações e regras lógicas de uma maneira atrativa e estimulante.

PROPOSTA DO APLICATIVO DESENVOLVIDO

O aplicativo desenvolvido, visa dois lados: o professor ou aluno alimentar os conteúdos sobre a linguagem bliss e outro viabilizar formas interessantes do aprendiz visualizar o conteúdo criado pelo professor.

Para o método de ensino ser eficiente e a ferramenta ser prática, o aplicativo precisa "entender" o conteúdo e classificar. Além disso precisa gerar as interações necessárias para o aluno se sentir assistido e acompanhado no processo de aprendizado. Desta maneira um dos objetivos (ainda não cumprido) do aplicativo é contabilizar e também assistir o aprendizado do aluno. Entendendo e criando uma bagagem de símbolos conhecidos. Outro objetivo é permitir reciclar o mesmo conteúdo e apresentá-lo de diferentes formas como: slides, jogo de perguntas e respostas, um website ou em um formato de livro.

Cada professor irá criar o conteúdo de uma forma, mas o sistema têm seu método.

O método seria dado por apresentar o conteúdo gradativamente, exigindo do aprendiz uma interação de raciocínio lógico, visando a dedução da simbologia em questão.

Um exemplo prático: existe o símbolo casa, que quando combinada com dinheiro é igual a banco, mas se combinar casa com medicina é igual a hospital e se combinar casa com conhecimento é equivalente a escola.

A proposta do método de ensino

Observando o exemplo acima, a ideia é montar um jogo lógico de aprendizado. Sendo assim, o ciclo funcional do jogo é apresentado em três fases:

1 - Introdução ao vocabulário simbólico

Neste passo apenas são introduzidos novos símbolos. Por exemplo:

house,building,dwelling,residence medicine,medical_practice money,cash knowledge,class_(in_combinations)
casa medicina dinheiro conhecimento

2 - Aprendizado de combinações lógicas

Neste momento serão combinados os símbolos e exibidos novos vocabulários. Por exemplo:

house,building,dwelling,residence and,also,plus,too medicine,medical_practice equal-(to) hospital,clinic

casa + medicina = hospital

house,building,dwelling,residence and,also,plus,too money,cash equal-(to) bank

casa + dinheiro = banco

3 - Desafio lógico

Neste momento é apresentado um único símbolo pertinente as combinações previamente apresentadas. A diferença deste passo é que a imagem não possúi descrição e sim alternativas em palavras para o estudante aprender e entender uma nova combinação. Veja os exemplos de desafios relevantes aos elementos anteriormente apresentados.

? O que significa o símbolo abaixo?

 ![school_(in_combinations)][]

(x) ![school_(in_combinations)][] Escola
( ) ![garage][] Garagem
( ) ![church,mosque,temple][] Igreja

A imagem abaixo mostra um exemplo de edição de conteúdo do exemplo acima através do sistema. A esquerda a visualização do conteúdo e a direita o editor do conteúdo. Observe o ponteiro a direita da alternativa correta (escola). O sistema automaticamente esconde as imagens dentro das alternativas e gera os botões com os nomes para tornar o desafio interessante.

img-alternativas

Quando é clicado sobre a alternativa, revela-se se a alternativa é verdadeira ou falsa e também a imagem referente a alternativa que estava escondida aparece.

img-alternativa-errada

A alternativa com o fundo verde é a correta e o aprendiz pode seguir o desafio.

img-alternativa-correta

Lógica e cognitividade

A abrangência do desafio leva o aluno a pensar sobre o significado das palavras conforme o nível de relevência da conexão que está aprendendo para o seu dia a dia. Mas, por mais lógica que seja ou pareça, muitas vezes a palavra não é lembrada ou mesmo entendida em sua essência.

A proposta é propor a reintrodução do vocabulário cotidiano através da linguagem bliss, tentando enfatizar aprender não apenas pelo ouvir mas também pelo pensar.

De uma maneira singela e natural, o aluno irá começar classificar, ordenar e também trocar palavras do seu cotidiano. Adaptando sua realidade a um vocabulário mais semântico e evoluindo não apenas na sua comunicação mas na eficiência de pensar.

Se o aluno tiver interesse por criar seus próprios desafios com a linguagem bliss, também terá o desafio de aprender a lógica da sintaxe markdown e os atalhos do editor. Estes aspectos da ferramenta também irão contribuir para a inteligência cognitiva e será um desafio conhecer também o aspecto lógico da ferramenta, como usar o editor de textos e como funciona o aplicativo por trás da linguagem.

O aplicativo trará uma nova diversidade de informações para o aluno e professor enquanto o conteúdo será o mesmo vocabulário já conhecido em sua língua nativa, mas com uma visão pictográfica e abrindo as palavras para a ressignificação.

O aplicativo

O aplicativo é online: http://bliss.ideia.me

Fazendo o login, vai ser possível editar o conteúdo existente e criar outros conteúdos sobre a linguagem bliss.

O editor de texto é um editor de programação e é possível usar a combinação ctrl + barra de espaço quando estiver editando e quiser inserir um símbolo bliss no conteúdo. Por padrão o editor está usando os atalhos do teclado do editor VIM.

Código aberto - ideia aberta

Sou uma pessoa orgulhosa em dizer que sigo a filosofia "openness" e o código fonte do aplicativo é aberto e está disponível em: http://github.com/jonatas/trybliss

Também é possível acompanhar mais detalhes do desenvolvimento do aplicativo em: http://github.com/jonatas/trybliss/issues

Online e realtime

O aplicativo foi construido para funcionar com usuários interagindo em tempo real, então, se houver alguém editando ou criando novos conteúdos, é possível "assistir" as atualizações feitas por outros usuários remotamente sem precisar atualizar a página.

Este aplicativo está usando um framework baseado em conceitos de programação reativa, tornando a arquitetura mais simples a fácil de programar. A programação reativa paga seu preço pelos diversas facilidades de desenvolver, logo o programa ser um pouco mais lento mas existe a facilidade de manter e também criar novas funcionalidades.

Para editar o conteúdo é necessário fazer o login, pois o método de edição registra quem são os contribuidores dos conteúdos na ferramenta.

As funcionalidades do aplicativo

O aplicativo permite criar conteúdos em html, usando a sintaxe markdown, que é uma maneira mais simples de escrever html, utilizando uma linguagem mais natural. Este arquivo que estou escrevendo utiliza esta sintaxe.

Desta maneira temos:

# Título principal
## Título secundário
### Título terciário 
#### E assim por diante.. 

Também temos listas:

1. Primeiro item
2. Segundo item

ou listas de marcação:

* item
* Outro item

E então aqui entra minha contribuição extendendo a linguagem para permitir perguntas e respostas interativas com os símbolos da linguagem.

? Pergunta ?

* -> resposta a
* -> resposta b
* -> resposta certa <-

E desta maneira também é possível associar imagens e o sistema vai interagir apenas exibindo a imagem após clicar na resposta. Veja mais exemplos de como funciona no tópico: "Como usar o editor" no próprio site.

Especificações técnicas

A programação do aplicativo é puramente javascript, enquanto a interface é em html5, css3 e utiliza os padrões da web. Pode ser acessado de qualquer dispositivo móvel ou tablet, sem restrições ou limites de uso. Todas as funcionalidades funcionam perfeitamente em todos os dispositivos.

O css é reutilizado do framework twitter bootstrap para parte do leiaute.

O servidor é nodejs, utilizando o framework Meteor JS (http://meteorjs.com), que ainda está em versão alpha. A versão 1.0 será lançado no inícion de 2014.

A camada de persistência (banco de dados) está acoplada no próprio framework Meteor JS, mas trata-se de outro software de terceiro, chamado: mongodb.

O editor de textos é opensource (http://codemirror.net) e a única coisa que criei foi um plugin para permitir inserir os símbolos bliss.

O aplicativo está hospedado no servidor heroku e têm a dependência do mongodb (http://www.mongodb.org).

Conclusão

A semantografia e a linguagem bliss têm seu devido valor e trata-se de uma história antiga. Charles K. Bliss conseguiu realizar o sonho de séculos e chegou a uma pictografia ideográfica de alta qualidade.

A linguagem bliss desfruta de várias regras gramáticais que já existem em outras ciências conhecidas pelo homem civilizado. Também destaca-se por ser independente da línguagem falada, permitindo que cada um assimile na sua língua nativa e com seu próprio sotaque / dialeto.

A proposta do aplicativo é aproveitar este poder lógico transferido através dos símbolos para diversificar o ensino e trazer um método estimulante de refletir sobre o próprio vocábulário e aprender uma nova linguagem.

O conteúdo também servirá para trazer sensibilidade para pessoas que não tem deficiências incentivando elas a colaborar e entrar no mundo das que precisam de mais atenção e utilizam bliss como sua linguagem primária.

O aplicativo ainda permite a expansão e uso da linguagem bliss com mais facilidade. Hoje não existem muitas ferramentas online ou mesmo de apoio ao professor ou estudante da linguagem bliss que funcionem online.

Referências

  1. First Bliss Lecture - 1943 - THE INSTITUTE FOR SEMANTOGRAPHY
  2. Semanthograpy - The 100 symbols versus 26 letters, 1948 - C. K. Bliss
  3. Semanthograpy (Blissymbolics) -A Logical Writing for an illogical World, 1965 - C. K. Bliss
  4. Bliss, basic rules - http://www.blissymbolics.org/images/bliss-rules.pdf
  5. Comunidade oficial blissymbolics - http://www.blissymbolics.org/
Sign up for free to join this conversation on GitHub. Already have an account? Sign in to comment